Confusão

Detento morre e outro foge durante confusão em presídio de Trindade

Segundo a DGAP, detento morreu após se envolver em briga com companheiros de Ala; diretoria abriu procedimento interno para apurar o ocorrido


Thaynara Cunha
Do Mais Goiás | Em: 04/09/2019 às 09:32:29

Presídio de Trindade: detento foge após confusão entre companheiros de Ala (Foto: Divulgação / SSP-GO)
Presídio de Trindade: detento foge após confusão entre companheiros de Ala (Foto: Divulgação / SSP-GO)

Um detento morreu e outro fugiu, na madrugada desta quarta-feira (4), durante uma confusão na Unidade Prisional de Trindade, Região Metropolitana de Goiânia. A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) confirmou as informações e afirmou já ter sido controlada a situação no presídio. Vitor Hugo Monteiro, de 30 anos, que cumpria pena por roubo, foi morto dentro da cela após uma briga envolvendo detentos da Ala 7. O local foi isolado e o corpo foi removido pelo IML.

Um dos reeducandos, Douglas Ricardo de Sousa Araujo, de 38 anos, que responde pelo crime de corrupção ativa, aproveitou a confusão para quebrar uma parte da parede de outra cela e conseguiu fugir do presídio. De acordo com a DGAP, o nome dos envolvidos ainda não foi divulgado pela unidade prisional. O órgão informou, ainda, que instaurou um procedimento administrativo interno para apurar o ocorrido.

Nota enviada pela DGAP:

“A direção Unidade Prisional de Trindade, pertencente à 1ª Coordenação Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), informa que já foram tomadas todas as providências administrativas necessárias em relação à morte de um dos detentos e a fuga de um outro, no local, na madrugada desta quarta-feira,04/09.

De acordo com a direção do presídio, o custodiado Vitor Hugo Monteiro, 30 anos, que cumpria pena por roubo, foi morto dentro da cela. Tempo depois, um outro detento,  Douglas Ricardo de Sousa Araujo, 38 anos, que responde pelo crime de corrupção ativa, conseguiu foragir.

As ocorrências foram informadas às autoridades competentes para providências cabíveis e registradas pela Polícia Civil para a investigação criminal dos fatos.  A direção da unidade abriu procedimento administrativo para apuração  interna  e responsabilizações, na forma da lei.  Sobre a fuga, a direção local notificou as forças policiais para as buscas ao foragido.

A DGAP divulga a foto e o nome do custodiado foragido para que a sociedade possa colaborar com as informações, por meio de denúncias anônimas, que podem ser feitas pelo 197 da Polícia Civil, pelo 190 da Polícia Militar ou pelo (62) 3201-1212 da Ouvidoria da Secretária de Segurança Pública.”

*Thaynara Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira