Tecnologia

E-sports movimentaram quase R$ 5 bilhões em 2017

Segundo dados de pesquisa, o mercado competitivo ainda deve crescer muito no ano que vem



Dota 2 (Divulgação)
Dota 2 (Divulgação)

A firma de análise de dados Superdata divulgou informações sobre a movimentação financeira ao redor de e-sports em 2017 e avaliou a atividade em US$ 1.5 bilhão, algo próximo de R$ 4.95 bilhões.

A Superdata destaca que 2017 foi “o ano” dos esportes eletrônicos, especialmente porque, ao romper comercialmente as barreiras do nicho, o meio atraiu diversos novos investidores.

Sendo assim, deste valor, 35% é composto por anúncios e patrocínios enquanto 50% é dinheiro de investidores. O mais interessante é que o valor das premiações, que nos torneios maiores passam dos US$ 200 mil, compõem apenas 6% do valor total movimentado este ano.

De resto, 5% compõem as vendas de ingressos para os eventos ao vivo e os 5% finais são compostos por torneios amadores e círculos amadores de apostas.

Segundo a Superdata, a expectativa é que o mercado cresça 26% até 2020 devido ao e-sport ser agora um fenômeno mundial e pelos investidores terem criado confiança na lucratividade do meio competitivo.

Como esperado, a Superdata também percebeu que a maior parte do dinheiro não vem das premiações e competições em si, mas tudo ao redor delas, como merchandising, anúncios e vendas diretas.

A pesquisa deu certo destaque para Overwath PlayerUnknown’s Battlegrounds que são dois “recém-chegados” mas que já estão com competições e comunidade estabelecidas e com previções vantajosas de lucro para 2017. No topo da cadeia alimentar, como esperado, permanecem Dota 2League of Legends.