Cidades

Ipasgo remodela e volta esquema de cotas de exames

Prestadores de serviços já são avisados pelo Instituto que 10% dos serviços foram reduzidos e que todas as sextas-feiras serão feitos repasses de cotas; presidente afirma que corte de gastos é necessário, faz pare de novo modelo de gestão, e usuário não será afetado




Para os prestadores de serviços ao Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás (Ipasgo), cota semanal de exames limita quantidade de exames. A novidade foi anunciada no portal do Instituto nesta sexta-feira, 27. O site disponibiliza um telefone para os prestadores de serviço — donos de clínicas e laboratórios que fazem os atendimentos. Em um telefone disponibilizado, prestadores já recebem a informação de que os serviços disponibilizados foram reduzidos em 10%.

O primeiro dia da mudança refletiu no interior. Em Mara Rosa, no norte do Estado, por exemplo, uma clínica já alcançou 86% da cota para toda a semana. Em Campinorte, na mesma região, um laboratório atingiu 40% dessa cota, só até as 10 horas de hoje.

“Eu tenho uma clínica de imagem e nosso limite de exames diários pelo Ipasgo já é reduzido, mas em pensar que temos uma quantidade de exames ainda mais limitados, reduzindo disso 10%, não sei o que pode causar. Vamos esperar o colapso acontecer, para ver”, diz um empresário bioquímico, prestador de serviço.

O sistema é parecido com o mesmo adotado em janeiro passado, quando um sistema reduzia 30% a quantidade de exames para cada prestador, e além de repor todos os meses a quantidade de liberações. A presidência do Ipasgo voltou atrás após dois dias de implantado o serviço, com reclamações constantes de usuários que chegavam às clínicas ou laboratórios e não eram atendidos.

O presidente do Ipasgo, por sua vez, ameniza. Para José Carlos Siqueira, a medida é uma forma de diminuir exames que ele consideram ser desnecessários. “Se levarmos em conta que foram pagos R$ 340 milhões para exames entre abril de 2016 e abril de 2018, e que um levantamento aponta para 96% de exames laboratoriais com resultados normais e 98% também normais para exames de imagens, não temos problema de saúde, temos um problema financeiro.”

Presidente do Ipasgo, José Carlos Siqueira: não temos problema de saúde, temos um problema financeiro

José Carlos Siqueira conta que a decisão de limitar a cota é uma forma de tratar mais próximo da administração do Ipasgo a situação. Segundo ele, os prestadores de serviço que atingirem a cota antes da renovação (à meia-noite de toda sexta-feira), será possível entrar em contato com o Instituto e pedir liberação.

Segundo o presidente, exames laboratoriais e de imagens para pacientes renais crônicos e oncológicos (acometidos por câncer), não haverá limitação de exames, nem haverá limitação para prestadores de serviços em prontos socorros.